"Virtude duce comite fortuna"

 

 

 

 

A Sociedade
societas rosicruciana in civitatibus foederatis

A primeira Sociedade Rosicruciana de que se tem notícia foi a Orden des Gold und Rosenkreutz ou “Ordem da Dourada e Rosa Cruz”, organização rosicruciana alemã fundada por volta de 1750 pelo alquimista e maçom Hermann Fichtuld.  Embora também não fosse vinculada à maçonaria, seus candidatos deveriam ser Mestres Maçons regulares. Teve seu apogeu e declínio ainda no século XVIII.

A primeira Sociedade Rosicruciana dita “Maçônica” foi a Societas Rosicruciana in Scotia (Escócia), cuja origem não pode ser reputada diretamente à predecessora alemã, embora alguns autores divirjam.

A Societas Rosicruciana in Anglia (Inglaterra), foi fundada pelos maçons Robert Wentworth Little e William James Hughan na sequência de suas admissões a SRIS, que concedeu uma carta para formar a Sociedade na Inglaterra. O encontro de formação teve lugar no dia 1º de junho de 1867 em Aldermanbury, Londres, com Robert Wentworth Little eleito Supremo Magus. Muitos Maçons eminentes e eruditos foram membros da Ordem na Inglaterra.

A Societas Rosicruciana in Civitatibus Foederatis (SRICF) é uma Sociedade Rosicruciana baseada nos Estados Unidos da América, formada em 21 de abril de 1880 por três Colégios também patenteados pela Societas Rosicruciana in Scotia, tendo sua consagração oficial em 21 de setembro de 1880.

A SRICF tem tratado de amizade e reconhecimento com as Societas Rosicruciana in Anglia (Inglaterra), Societas Rosicruciana in Scotia (Escócia) e Societas Rosicruciana in Canada, além de ter ajudado a causa Rosicruciana autorizando Altos Conselhos em sua própria soberania por todo o mundo. São eles: Societas Rosicruciana in Lusitania (Portugal), Societas Rosicruciana in Gallia (França) e a Societas Rosicruciana in Romênia.

Os Objetivos

A Fraternidade Rosicruciana é dedicada principalmente à educação espiritual, filosófica e ética de verdades do mais alto nível. Seus membros dedicam-se a pesquisas e apresentam trabalhos sobre diversos temas, incluindo Simbolismo numérico, Geometria Sagrada, Alquimia, Kabbalah, Filosofia, História, Teurgia, Misticismo, entre outros, descortinando para o mundo moderno a complexa linguagem simbólico-hermética. Seu interesse envolve ainda biografias de eminentes filósofos da ciência, religião, esoterismo e misticismo.

A Societas Rosicruciana, ainda que exclusiva para Maçons, não constitui somente um outro conjunto de graus interessantes na Maçonaria, a ser adquirido no curso do progresso maçônico comum.

É algo além e fora da Maçonaria.

Ela é composta por Irmãos que percorreram todos o mesmo caminho dentro da estrutura maçônica. A Sociedade é o fórum ideal para os Maçons que desejam estender suas contemplações dos mistérios ocultos da Natureza e da Ciência.

Ainda, pode fornecer ao Maçom interessado a direção, estrutura, recursos para seu esclarecimento e avanço no trabalho em torno dos grandes problemas da vida, em compreender e apreciar as suas relações com seus companheiros e com seu Criador.

A Sociedade também se constitui num excelente fórum para a partilha de conhecimentos, aprendizagem e experiências entre seus membros, através da apresentação de trabalhos e reunindo grupos de estudo e discussão.
Somos encorajados à leitura de artigos originais ou de excertos das obras dos outros Fratres (denominação de seus membros) e também a participar dos debates. Os membros devem estar preparados não só para participar nas cerimônias de grau, mas também para ouvir e aprender e, pelo estudo, dar aos outros os resultados de suas ideias ou descobertas pessoais.

Assim, o objeto da Sociedade é a reunião dos Maçons de perspectiva filosófico-esotérica, a fim de que eles possam ajudar e encorajar-se mutuamente na busca do entendimento nos campos filosófico e acadêmico, no seu sentido mais amplo. E, finalmente, o objetivo da sociedade é trazer os seus membros a alguns passos mais perto da sabedoria e de uma compreensão da verdadeira natureza da realidade.

A Sociedade no Brasil

Como parte do processo de autorizações para a causa rosicruciana, em 11 de novembro de 2009, na cidade de Foz do Iguaçu/PR, pelas mãos do Mui Digníssimo Senior Deputy Supreme Magus David D. Goodwin, IXº, SRICF, foram fundados, instalados e constituídos dois Colégios da SRICF no Brasil, então sob a batuta do Mui Digníssimo Frater João Guilherme da Cruz Ribeiro, IXº. Em 2013, após serem recebidos como membros do Alto Conselho da SRICF, os fratres Leonardo Sant’Anna, IXº e Paulo Cesar Barreto, IXº, assumiram a Chefia do Adeptado e, desde então, vêm desenvolvendo o trabalho da causa rosicruciana, respectivamente, nos dois Colégios existentes. São eles: o Collegium Crux Australis localizado em Curitiba/ PR e o Collegium Arcanum Arcanorum, localizado no Rio de Janeiro/RJ.

subir